Quanto maior a altura maior o tombo - Sem Sephora

 Aff que eu nem acredito... A gente sonha, e depois toma um balde que não é nem de de água fria, e sim gelada!!! Mal comecei a sonhar e já caí da cama. Sephorá, bye, bye.


Pois é meninas. Parece que a notinha da Veja não era verdadeira. Ou pelo menos não totalmente. Ainda há pouco eu passeava pelo mundo dos blogs quando dei de cara com um post da Luciana do "Minha pele é melhor que a sua" falando justamente do grande mau entendido que a revista provocou. A Sephora desmentiu que já tenha data certa para vir para o Brasil, embora realmente estejam analisando nosso mercado há bastante tempo. Simplesmente não há nada de concreto, nenhum indício de que o sonho vá se tornar realidade tão cedo.
Tô arrasada. E, sinceramente, inconformada com o fato de uma revista de tanta credibilidade como a Veja não ter tido responsabilidade ao publicar uma notícia não confirmada.
Então... A Lú listou estes links como fontes: Revista Estilo da Editora Abril e Chic site da Glória Kalil.
É froids...

2 comentários:

Andrea disse...

Por mais que a rede queira, ela vai esbarrar com as regras de importação tortuosas, barreiras e taxas alfandegárias brasileiras absurdas, que praticamente inviabilizam um negócio com o da Sephora, que depende de estoques enormes sendo renovados semanalmente. A Polimaia foi pro brejo, a Universo é uma sombra do que já foi. Trabalhar com cosméticos importados no Brasil é heróico. Talvez o estudo de mercado tenha revelado a eles o lado obscuro do protecionismo brazuca, e eles acharam melhor puxar o freio de mão enquanto a coisa não fica mais fácil.

Vanessa - Anyway... disse...

É Andrea, realmente as leis protecionistas brasileiras não ajudam em nada. É mesmo muito complicado. A gente fica triste porque adoraria ter o "templo" logo ali, ao dobrar a esquina. Mas por enquanto, só na vontade mesmo.