A Beauty Blender tupiniquim: Sponge Drop Klass Vough

Desde que centenas de resenhas positivas pipocaram na blogosfera, venho namorando a tal Beauty Blender. A esponjinha cor de rosa promete uma aplicação de bases e produtos líquidos e cremosos perfeita. Mas o precinho salgado e a dificuldade de encontrá-la no Brasil foram adiando os planos da aquisição. Eu sempre pensava que era bobagem comprar outro produto para aplicar bases, já que me encontrei nesse quesito com o pincel F80 da Sigma. Mas eis que descobri uma versão nacional (e baratinha) da esponja e me encorajei a comprá-la. 

A Sponge Drop é da Klass Vough e embora possua função semelhante, tem cor e formato diferentes da Beauty Blender. Ela é branquinha e tem um lado arredondado e outro pontiagudo. No centro há uma "cinturinha" que ajuda bastante na hora de manusear a esponja. Esses formatos foram pensados para ajudar na aplicação, já que o lado maior espalha produtos em grandes áreas e a ponta alcança os cantinhos dos olhos e nariz.


A forma correta de utilizar esse tipo de esponja é umedecê-la antes. Pode-se mergulhá-la em um recipiente com água ou simplesmente colocá-la sob uma torneira. O passo seguinte é espremê-la até que ela fique apenas levemente úmida e assim pronta para o uso.



É interessante notar como a esponja aumenta de tamanho após ser umidecida. A diferença é muito grande como pode-se ver nas imagens abaixo (à esquerda seca e à direita molhada). Ela também se torna bem mais macia. Por isso, se você perguntar se ela pode ser usada seca, responderei que pode sim, mas o resultado final definitivamente não será o mesmo.


A esponja pode ser usada para aplicação direta da base no rosto ou para dar acabamento após o uso do pincel tradicional. Nos dois casos, a idéia é a obtenção de um resultado mais refinado. Testei das duas formas e a principal diferença fica por conta da cobertura obtida. Ao aplicar a base diretamente com a Sponge Drop, a sensação que fica é de uma cobertura leve mesmo com produtos mais pesados. Acho esse tipo de aplicação sensacional para o dia a dia, já que a base se funde perfeitamente com pele, sem aspecto de reboco. Por outro lado, se você busca mais cobertura e/ou pretende esconder imperfeições, essa não é a melhor opção. Neste caso, a Sponge entra após a aplicação com pincel, apenas para dar polimento, retirando os excessos e eventuais acúmulos em poros e linhas de expressão. E para isso ela é sensacional.

É importante frisar que em ambas as situações, deve-se usá-la em leves batidinhas, carimbando, sem esfregar.  Isso garante a fusão do produto com a pele, sem retirá-lo.

Além de base, você pode usar a Sponge Drop com corretivos, blushes, bronzers e iluminadores cremosos.

Um dos pontos negativos é a higienização. Esponjas, ainda mais úmidas, são conhecidamente um criadouro de germes. O ideal é lavá-las com shampoo neutro sempre após a utilização, ou no máximo a cada três dias caso você sempre use para a mesma finalidade. Apesar de ela realmente absorver pouco produto, confesso que não achei tão fácil deixá-la limpa. E não é sempre que a gente tem tempo e disposição para esse ritual diário.

É claro que esse tipo de esponja pode ser considerada uma "frescura", mas é fato que ela é infinitamente melhor do que um pincel de base tradicional (e acho que até mais barata). Portanto, indico sim, mesmo para quem ainda não tem muita prática com maquiagem, já que o manuseio é muito fácil e o resultado vale à pena!





6 comentários:

Ana Lu Fragoso - Oxente Menina disse...

Eu não me dou bem com esponjas, sempre dou preferência aos pincéis, mas se eu encontrar essa vou dar uma chance. A propósito, eu tenho testado uns produtos dessa marca, e todos tem me deixado positivamente surpresa. Bjosss

Adriana disse...

Curiosidade, aonde vc comprou essa esponjinha? o preço dela é acessível?

Eu nunca usei essas esponjinhas mas tenho curiosidade de saber se funciona.

Eu acho os pincéis de base horríveis, por isso uso o duo fiber para passar base.

Uma boa sexta,

Bjos

Vanessa - Anyway... disse...

Ana Lú, dê uma oportunidade sim, o produto é bem bacana. Como eu disse, para dar acabamento após a aplicação com pincel é fenomenal. E eu tenho poucas coisas da Klass Vough, mas todas que eu tenho também me surpreenderam positivamente.

Adriana, a minha comprei na Audrey, que fica na Liberdade em São Paulo. Não me lembro exatamente o valor, mas tenho certeza de que algo em torno de R$18. É bem baratinho e vale à pena. Virtualmente, sei que ela é vendida da Loosho, mas lá o preço já tem beeem mais salgado: R$32,90. Acho que é possível encontrá-la em perfumarias também. Se encontrar, tente aplicar a base com o duo fiber e depois dar acabamento com a Sponge. Fica muuuito bacana. Bjos

Andréa disse...

Já tive essa esponja e agora comprei a Beauty Blender, não tem nem como comparar, a BB é muito mais macia e gostosa de usar. Vale a pena!

Beijos

Vanessa - Anyway... disse...

Andrea, ouvi outros comentários como o seu. Olha, depois de testar a Sponge estou ainda mais tentada a comprar a Beauty Blender. Gostei muito do efeito da esponja nacional, mas não tenho dúvidas de que a original deve ser um espetáculo.

Bjos

Antonia - makesporciaobella.blogspot.com disse...

Olha, parece bem melhor que a da Sonia Kashuk!
vou comprar...
ultimamente tenho amado um pincel da Klass Vough tbm, Vanessa!
Beijosss
Antonia